Páginas

16 setembro 2016

Romantismo em Portugal - Fase Ultrarromântica

Características do 2º período do Romantismo, em Portugal no
trecho final do livro Amor de Perdição de Camilo Castelo Branco.

Em Amor de Perdição observa-se o toque do drama, da tragédia e do sentimentalismo, característicos da segunda fase do Romantismo, chamada “Ultrarromântica”.

No começo é possível observar a abnegação e resignação em Mariana: - “... sentada com o rosto sobre os joelhos, parecia sucumbir ao quebranto das trabalhosas e aflitivas horas daquele dia...”, mas ela continuava ali, velando por ele, entregue à paixão que lhe abrasa o coração!

Na postura de Simão, humanização do vento: “... atento a um assobio da ventania: devia de soar-lhe como um ai plangente aquele silvo agudo...”, até o vento estava lamentoso! Ele, desolado, enredado em sua incomensurável tristeza, acaba imputando ao vento seus sentimentos sombrios...

Também surge Atração pela morte e resignação na carta de Teresa: "... É já o meu espírito que te fala Simão... A hora que te escrevo, tu estás para entrar na nau dos degredados, e eu na sepultura...”. Ela tinha tuberculose e consciente de que sua doença era incurável, ela aceita a morte, quase agradecida, por que sua partida para o além tiraria do seu peito a dor pungente pela ausência do seu amado.

Linguagem oral do diálogo: “... Quem te diria que eu morri, se não fosse eu mesma, Simão...”? Ela pergunta, como se Simão estivesse a ouvi-la e pudesse responder... talvez num sussurro dos ventos...

O escapismo e a fantasia surgem aqui“... A vida era bela... Estou vendo a casinha que tu descrevias...cercada de árvores, flores e aves...Estrelava-se o céu, e a Lua abrilhantava a água...”.

Camilo castelo Branco foi o principal autor romancista de Portugal, teve uma vida sofrida e trágica o que é refletido em sua obra.

Edna Molina
Set/2016

Referências:
Apostila da Universidade Cruzeiro do Sul – Unidade II – Literatura Portuguesa – Prosa
Acesso em 14/09/2016


11 setembro 2016

Resumo Didática

Nas definições sobre Didática, percebemos alguns termos como: educação, ensinar, aprendizagem, processo, prática pedagógica.

 A Didática está ligada à Pedagogia, no que diz respeito à procura de uma educação melhor e um processo ensino-aprendizagem mais significativo tanto para professores quanto para alunos.

Sendo a educação um processo que evolui numa construção constante ao longo da vida das pessoas, a Didática deve preocupar-se com a maneira como esta construção será desenvolvida, visando não só o conhecimento e habilidades a serem adquiridas, mas também as relações humanas dentro de um contexto sócio-histórico-cultural.

O trabalho didático realizado nas escolas reflete uma evolução e construção que se baseiam num processo de análise, modificação e aprimoramento, que chamamos de reflexão-ação-reflexão.

Sendo a prática educativa um fenômeno social e universal, necessária à existência e funcionamento de todas as sociedades, é preciso que as finalidades e meios da realização do processo educacional, orientem-se a respeito do tipo de sociedade que se espera e do homem que viverá nessa sociedade. Não há sociedade sem prática educativa, nem prática educativa sem sociedade. Sobre o texto acima podemos perceber as seguintes afirmativas:
 - Os propósitos e práticas educacionais estão ligados a práticas sociais.
 - Para que o processo educativo aconteça, é preciso uma orientação sobre as finalidades e os meios da sua realização.

A Teoria das Inteligências Múltiplas, que somam um total de 8 (oito), foi proposta por Howard Gardner (1985) como uma alternativa para o conceito de inteligência como uma capacidade inata, geral e única, que permite aos indivíduos um desempenho, maior ou menor, em qualquer área de atuação.

Mais sobre Howard Gardner: neste artigo, (http://www.atecedeira.com.br/2016/08/howard-gardner.html) fala-se em 9 (nove), inteligências.

A Didática permite transformar o processo de ensino em processo de aprendizagem, favorecendo a participação e desenvolvimento do aluno.

A aprendizagem envolve diferentes dimensões do ser humano:
 - Ao propiciar o desenvolvimento de habilidades motoras, estamos trabalhando com a aprendizagem motora ou motriz.
- A aprendizagem cognitiva, como o próprio nome nos remete, refere-se à aquisição e assimilação de novas informações, conceitos ou conhecimentos.
- A Dimensão Humana do processo de aprendizagem refere-se à criação de relações interpessoais entre alunos, professores e direção, criando um clima afetivo importante e muitas vezes responsável, tanto pelo sucesso quanto pelo fracasso da aprendizagem.
                       
Texto: “A notícia veio de supetão: iam meter-me na escola. Já me haviam falado nisso, em horas de zanga, mas nunca me convencera que realizassem a ameaça. A escola, segundo informações dignas de crédito, era um lugar para onde se enviavam as crianças rebeldes. Eu me comportava direito: encolhido e morno, deslizava como sombra. [...] A escola era horrível – e eu não podia negá-la, como negara o inferno. Considerei a resolução de meus pais uma injustiça. [...] Lembrei-me do professor público, austero e cabeludo, arrepiei-me calculando o rigor daqueles braços. Não me defendi, não mostrei as razões que me fervilhavam na cabeça, a mágoa que me inchava o coração. Inútil qualquer resistência. (RAMOS, Graciliano. Infância, Rio de Janeiro: Record, 1995, p. 104.) Fonte: Inep/MEC- Enade/Pedagogia/2005.

O texto do escritor Graciliano Ramos traz lembranças de sua entrada na escola, que expressam um momento da Educação brasileira. Entretanto, o pensamento pedagógico tem-se modificado ao longo do tempo, contrapondo-se ao modelo de escola evidenciado no texto. Este contraponto é expresso por:
- Valorização da criança, do afeto entre professor e aluno, das reflexões sobre as formas de ensino que considerem o saber das crianças;
- Dimensão dialógica do processo ensino/aprendizagem com ênfase nas relações igualitárias;
- Preocupação com a formação humana relacionando as dimensões humana, econômica, social, política e cultural.
                      
Bons professores têm uma boa cultura acadêmica e transmitem com segurança e eloquência as informações em sala de aula; Bons professores também cumprem o conteúdo programático, mas seu objetivo fundamental é ensinar os alunos a serem pensadores e não repetidores de informações.
- A adoção de determinada abordagem pelo professor não se dá de forma aleatória;
- As diferentes abordagens de ensino estão cada qual ligada a conceitos e escolhas mais profundas;
- Se relacionam a ideologias, visão de mundo e visão de educação, por exemplo.



Projeto Político Pedagógico, é uma forma de organização do trabalho pedagógico da escola que facilita a busca de melhoria da qualidade do ensino.

Segundo Vasconcelos (2002): Ao elaborar o Projeto Político Pedagógico, é preciso que se considerem alguns pontos muito importantes:
 - Marco referencial / diagnóstico / programação.
Com relação à participação docente no Projeto Político Pedagógico podemos afirmar que:
 - É partir da elaboração do PPP que professores se envolvem na elaboração de outros tipos de planos ou planejamentos.

Dentre os princípios norteadores do Projeto Político Pedagógico, como forma de organização do trabalho da escola, tem grande relevância a gestão democrática.
 - Buscar a gestão democrática inclui a amplamente o envolvimento de todos os elementos constituintes da comunidade escolar em todas as decisões ou ações, sejam administrativas, financeiras ou pedagógicas;
 - A gestão democrática pressupõe a construção do Projeto Político Pedagógico, com participação crítica e ampla, assegurando assim a transparência das ações e decisões da comunidade;
 - A gestão democrática fortalece e legitima as pressões sofridas, garantindo o controle sobre acordos estabelecidos e favorecendo a discussão sobre diferentes questões que de outra forma poderiam nem ser cogitadas.
 - A construção do Projeto Político-Pedagógico passa pela autonomia da escola e pela sua capacidade de delinear sua própria identidade.

Com relação aos objetivos de ensino podemos afirmar que:
 - O estabelecimento de objetivos serve de orientação tanto para o professor quanto para os alunos, na medida em que a aula deve ser preparada pelo professor, mas compartilhada pelos alunos em direção à aprendizagem.

Em relação à avaliação é correto afirmar:
 - A forma como o professor concebe a avaliação reflete sua postura filosófica em face da educação.
 - Ao avaliar o aproveitamento escolar do aluno, o professor deve utilizar técnicas diversas e instrumentos variados, pois, quanto maior for a amostragem, mais perfeita será a avaliação. 

Em relação ao planejamento escolar é correto afirmar:
 - É o planejamento global da escola, envolvendo o processo de reflexão, de decisões sobre a organização, o funcionamento e a proposta pedagógica da instituição.

O Plano de Aula é um documento importantíssimo na organização do ensino e aprendizagem. Dele depende muitas vezes o sucesso do trabalho do professor e da participação e aprendizagem dos alunos. Por este motivo ele deve ser elaborado de forma integral, com uma visão de conjunto, detalhando as atividades a serem realizadas e os objetivos gerais e específicos, que se esperam alcançar.
 - O plano de aula é um documento que orienta o trabalho do professor.
 - No plano de aula as atividades propostas devem estar descritas de forma a atender os objetivos propostos.

Ser professor significa desenvolver atividades pedagógicas e projetos político-pedagógicos, questionar a própria prática e refletir sobre o fazer profissional. Na proposta de formação do professor-pesquisador entende-se que o docente deve:
 - Organizar a sua ação a partir da articulação prática-teoria-prática.

O objetivo de um plano de ensino é:
 - O Plano de Ensino serve como ponto de partida para o fazer pedagógico do professor. É nele que estão os objetivos da disciplina bem como todo o conteúdo, de forma detalhada, que será abordado.

Com relação aos procedimentos de ensino (metodologias e estratégias), é correto afirmar que:
 - Ao selecionar os procedimentos de ensino, o professor deve se preocupar com a adequação destes procedimentos às necessidades dos alunos, para que os mesmos se sintam desafiados e estimulados a aprender.

Ao desenvolver seu trabalho baseado na visão dos quatro pilares do conhecimento, o professor:
 - Planeja suas ações voltando-se para o desenvolvimento dos alunos, mas também para seu próprio crescimento como profissional da educação.

Ao analisarmos “Os quatro pilares da educação”, sugeridos no relatório de Delors, é correto afirmar que:
 - Aprender a viver juntos pede o desenvolvimento da convivência, do entendimento, aceitação e relacionamento no desenvolvimento de uma cultura de paz, na realização de projetos ou tarefas em equipe.
 - Aprender a fazer está ligado a competências e habilidades a serem desenvolvidas, tanto para realizar tarefas materiais, quanto para preparar o aluno no enfrentamento de soluções práticas para situações do dia-a-dia.
 - Aprender a conhecer mostra a necessidade de aprender a aprender, desenvolvendo nos alunos a vontade da pesquisa e estudos constantes, na busca pelo conhecimento e aprendizagem durante toda a vida.
 - Aprender a ser pressupõe o desenvolvimento de pensamentos próprios, de autonomia e responsabilidade pessoal, além do preparo para a tomada de decisões e formação para a cidadania.

A formação profissional do professor deve propiciar continuamente reflexões e relações entre teoria e prática. A respeito desta afirmação Libâneo diz:
  - “a teoria vinculada aos problemas reais postos pela experiência prática e a ação prática orientada teoricamente”.

Segundo os autores Carvalho&Perez, citadas no texto base desta unidade, podemos afirmar como correto que:
 - As concepções que guiarão este trabalho para que seja realizado de forma eficiente, deverão ter início na formação inicial do professor. É preciso que se considere uma base comum nacional para esta formação, a qual se apoia em cinco eixos, a saber:
1. Sólida formação teórica;
2. A unidade teoria e prática, sendo que essa relação diz respeito ao como se dá a produção de conhecimento na dinâmica curricular do curso;
3. O compromisso social e a democratização da escola;
4. O trabalho coletivo;
5. A articulação entre a formação inicial e continuada.

O principal recurso de ensino para o aprendizado do aluno: O Professor!

Edna Molina
Setembro/2016

Fonte: Apostila Unicid – Curso de Letras/2016


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...